segunda-feira, janeiro 28, 2008

Praga: uma viagem ao delicioso passado europeu


O que voce estava fazendo às 4:53 da manhã do dia 19 de janeiro?

Provavelmente dormindo. Pois bem, nessa fria madrugada eu rumava para a República Checa, em uma viagem de 5 horas rumo à Praga, uma cidade que remete ao passado.

Se já estou penando na Alemanha com uma lingua dificil, imagine-se em um país com raízes russas, onde mal ingles se fala...entao...assim é Praga. Mas apesas da dificil comunicacao, ela nao é impossivel, e com a hospitalidade de alguns habitantes tive uma agradavel e divertida estadia, comecando pelo albergue: Zcheck Inn (parodiando Check In com Czheck Republic).


Localizado a 12 minutos aproximadamente de uma das estacoes de metro da cidade, o local em nada se parece com um albergue vagabundo, muito pelo contrário. Com um excelente atendimento (falando ingles), um otimo cafe de manha (1o dia com desconto) e confortaveis quartos, posso considerar o melhor albergue que já fiquei em minhas peregrinacoes em busca do conhecimento do mundo.

Praga: como posso descreve-la? Uma cidade com ares do passado? Onde o seu fraco dinheiro nos permite pequenas regalias como uma camiseta do time de futebol local (já ouviram falar do AC Sparta Praha? Nem eu).

Enfim, comecei minha caminhada e nao parava de fotogravar e filmar a cidade. Com uma fria temperatura, cruzava com diversos turistas, mas nao em quantidade suficiente para me incomodar, ou seja, um otimo passeio.
Durante o sábado caminhei pela cidade antiga, onde filmei o badalar das horas diante da igreja com o famoso relógio construido em 1410 (um dos pontos turísticos de lá)e que mantém seu mecanismo original. A cada hora exata, um boneco representando a morte aciona um carrilhão por onde pequenas portas acima do relógio se abrem e revelam esculturas dos 12 apóstolos. Ao final, um galo de ouro cacareja e anuncia o fim do pequeno show, e toda a multidao ri.

Próximo dali, me deparo com uma exposicao de fotografia da imprensa checa. Que sorte a minha, e passo boas horas dentro dela apreciando o conteúdo jornalistico da captura do momento correto.

Mas se voce pensa que em Praga, uma linda cidade europeia, nao existem pessoas que querer sacanear as outras, pense novamente. Na entrada dessa exposicao cruzei com duas garotas que abordavam passantes pedindo uma assinatura para um certo abaixo-assinado. Nao entendi direito, e realmente dei uma de idiota e assinei o papel. Em seguida, a garota me pergunta quanto de dinheiro eu ia doar para a causa. Sem saber, pegue uma nota de 5 coroas checas (=1/5 de euro) e logo que abri a carteira, a outra garota me pediu novamente a assinatura. Aí é que esta a picaretagem. Ela cobre minha mao na qual seguro minha carteira, e sinto um suave puxao pegando minhas outras notas. Dá pra imaginar uma coisa dessas, garotas razoavelmente bonitas, aplicando o golpe em todo mundo. Gracas a Deus percebi a tempo, xinguei as duas em portugues, e puxei novamente minha grande nota no valor de 1/5 de euro. Tentei explicar mais tarde o golpe para dois policiais mais a lingua atrapalhava meu boletim de ocorrencia verbal.

Cansado da viagem e da grande caminhada de muitos km, comi um tradicional lanche local (65 coroas, menos que 3 euros, e delicioso), voltei para o albergue, e encerrei minha noite entre internet e descanso.

No outro dia, dou Czcheck Out (brincadeirinha) e parto novamente para a cidade, dessa vez em direcao ao castelo. Filmo algumas coisas, entro de gaiato na missa tradicional de domingo na igreja do castelo (vejam minha filmagem abaixo) e me dirijo para a ponte Charles. Porém durante o caminho, me deparo com uma pequena praia do rio Vltava. Nela, gansos e patos caminham sem medo entre as pessoas, e com isso consigo boas fotos dos animais.

Fazendo juz ao apelido de ´pulga atomica´ que me foi dado na infancia, decido escalar o muro para voltar a rua que se dirige à ponte, e para minha surpresa, dou de cara com o museu de Franz Kafka, autor do grande livro´A metamorfose`. Infelizmente, nao entro nele pela falta de tempo, mas entro sim em sua lojinha (hehehe), e posso considerar esse momento como o mais sortudo de todo o dia. Nessa loja conheci o trabalho de um artista checo chamado Alphonsé Mucha. Um pintor e ilustrador do que vivei no inicio do século 20, e que criou uma forma unica de retratar as mulheres. Confira abaixo alguns de seus trabalhos.

Com essa descoberta, decido visitar seu museu. Compro o ticket, passo pela ponte Charles (onde fiz uma filmagem com fundo musical de um sanfoneiro pedinte),e rumei para o museu de Mucha.

No caminho, meu faro jornalistico (e minha sorte) me levaram para mais uma experiencia interessante. Na rua do museu, dentro de um shopping, vejo um bafafá de policiais, e no chao, um corpo coberto com um lencol. Tentei descobrir o que era, mas novamente a lingua nao ajudou. O problema é que o policial me viu tirando foto do corpo, e mandou eu apagar, em um tom estupido. Será que todos os fotografos passam por isso?
O mais curioso é que estava a apenas alguns petros da embaixada brasileira, situada na mesma rua!

Finalmente chego ao museu e me delicio com a exposicao. Quem puder visitar praga, pesquise em seu hotel sobre o Museu de Alphonse Mucha e descubra esse estupendo artista, que é totalmente anonimo pelo Brasil.

Bom, com os presentes para mamae, vovó e o resto do mundo comprados, encerro minha experiencia por Praga. Busco minha mala e depois de 5 horas estou novamente em Berlin, para uma semana de estudos e mais conhecimentos. Amanha falo dou o update dessa semana e da proxima viagem que farei!


Espero que tenham gostado. Busquem mais info no google sobre Praga. Eu recomendo!

Um abraco

LARCF

Um comentário:

SrtaDay disse...

Adorei a foto no cabeçalho...muito boa....

Day